Saúde

Janeiro Roxo, o que é e qual a sua importância?

Além da campanha do Janeiro Branco visando uma conscientização focada na saúde e bem-estar mental, o mês de janeiro também possui uma outra grande campanha no Brasil que é o Janeiro Roxo.

A campanha denominada “Janeiro Roxo”, tem como o seu principal objetivo a conscientização e o combate da Hanseníase. Desde 2016 o Ministério da Saúde oficializou o mês de janeiro e a cor roxa para campanhas educativas em todo o país.

Contudo, você sabia que o último domingo de janeiro é dedicado ao Dia Mundial da Luta Contra a Hanseníase? A data foi criada para conscientizar a população em torno da doença que, antigamente, era conhecida como lepra.

Diversas ações de conscientização são realizadas pelo país e marcam a campanha do Janeiro Roxo, no qual chama-se atenção para os sinais e sintomas da hanseníase, alertando para a importância do diagnóstico precoce a fim de evitar sequelas graves.

Mas, o que é a Hanseníase?

A Hanseníase é uma doença infecciosa, causada por uma bactéria. É transmissível e atinge, principalmente, a pele e os nervos periféricos como mãos e pés. Quanto mais cedo for diagnosticada, mais eficaz será o tratamento.

No Brasil, a hanseníase era denominada lepra até 1976, quando o antigo nome foi substituído oficialmente no país. O estigma em relação aos pacientes contaminados, no entanto, continua vigente. 

Dados apontam que o Brasil é alvo de 90% dos casos na América Latina e ocupa o 2º lugar no ranking mundial, atrás apenas da Índia. Os portadores são vítimas do preconceito e da falta de informação.

A transmissão acontece pelas vias respiratórias (fala, espirro ou tosse), durante o convívio prolongado com o doente sem tratamento. O espaço de tempo entre o contágio e o aparecimento dos sinais da doença é longo. O paciente deixa de transmitir a doença para seus familiares ao iniciar o tratamento medicamentoso.

Sintomas
  • Manchas (esbranquiçadas, amarronzadas e avermelhadas) na pele com mudanças na sensibilidade dolorosa, térmica e tátil.
  • Sensação de fisgada, choque, dormência e formigamento ao longo dos nervos dos membros
  • Perda de pelos em algumas áreas e redução da transpiração
  • Inchaço e dor nas mãos, pés e articulações
  • Dor e espessamento nos nervos periféricos
  • Redução da força muscular, sobretudo nas mãos e pés
  • Caroços no corpo
  • Pele seca
  • Olhos ressecados
  • Feridas, sangramento e ressecamento no nariz
  • Febre e mal-estar geral
Hanseníase tem cura?

Nem todos sabem, mas a hanseníase tem cura e tratamento pelo próprio Sistema Único de Saúde (SUS). Durante o período de 12 meses, o paciente diagnosticado precisa tomar três tipos de antibióticos, fornecidos gratuitamente, e manter um acompanhamento mensal.

Contudo, o maior entrave para a eliminação da doença está na dificuldade de identificá-la.

Resumindo, vale sempre frisar a importância de campanhas que buscam conscientizar e informar a sociedade como a campanha Janeiro Roxo visando o combate a prevenção contra a Hanseníase.

“Não deixe essa mancha pagar a sua história!”. Com base nisso, não tenha medo em procurar ajuda caso necessite busque um especialista.

E ai, gostou? Fique ligado ao blog da Meame para outros conteúdos.

Fontes Bibliográficas:

Posts Relacionados