Saúde

O que é o Novembro Azul e por que ele foi criado?

Assim como mês de Outubro é de conhecimento público a existência da campanha do Outubro Rosa, em Novembro, diversas instituições iluminam suas fachadas e iniciam a campanha conhecida como Novembro Azul. A campanha mundial do Novembro Azul busca conscientizar os homens sobre os cuidados com a sua saúde, especialmente na prevenção contra o câncer de próstata.

A campanha além de toda a função da conscientização sobre o câncer de próstata, também visa quebrar tabus, uma vez que o câncer de próstata é sempre tratado com um certo preconceito entre os homens, principalmente sobre a realização do exame clínico (toque retal). Por consequência, muitos homens deixam de frequentar um urologista, fazendo que um possível diagnóstico acabe sendo realizado tardiamente.

O Novembro Azul é uma campanha que virou uma cultura presente na nossa sociedade, embora haja todo um mês de campanha, você sabia que há uma data específica que é comemorado o combate ao câncer de próstata? O data que simboliza o dia mundial do combate ao câncer de próstata é comemorada no dia 17 de Novembro.

Como surgiu a data?

O Novembro Azul surgiu no ano de 2003 em Melbourne, na Austrália, provinda da iniciativa de dois amigos, Travis Garone e Luke Slattery. Os dois estavam se divertindo em um pub e cogitaram se ficariam bem de bigode, que estava fora de moda na época.

Então, se baseando em uma campanha da mãe de um colega, que levantava fundos para o combate ao câncer de mama, Travis e Luke tiveram a ideia de associar o bigode com a conscientização sobre a saúde masculina.

Os dois amigos escolheram o mês de novembro para deixar o bigode crescer, pois, no dia 17, já se comemorava o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata. Naquele ano, cerca de 30 amigos aceitaram participar da campanha e, como muita gente se interessava pelos bigodões, a história foi se espalhando cada vez mais.

No ano seguinte, surgiu a Movember Foundation, o nome veio da junção de duas palavras em inglês moustache (bigode) e November (novembro), uma organização sem fins lucrativos que visava angariar fundos para o combate ao câncer de próstata. Também foi criada uma plataforma online com o objetivo de receber doações, na qual os homens podiam compartilhar fotos da evolução de seus bigodes durante o mês.

Ao longo dos anos, a campanha atraiu um público cada vez maior e se espalhou para mais de 20 países, passando a ser conhecida também como No Shave November, algo como “novembro sem barbear”. Dessa forma, mais do que deixar apenas o bigode crescer, alguns homens cultivam a sua barba toda durante este mês. Por sua vez, as mulheres são incentivadas a participar da campanha usando bigodes falsos e roupas na cor azul, cor que simboliza a luta contra o câncer de próstata e é por isso que por aqui o movimento é conhecido como Novembro Azul.

Câncer de próstata.

Antes de apresentar todos os dados referente ao câncer de próstata no Brasil, é preciso esclarecer o que é a próstata e a sua função no nosso corpo. A próstata é uma glândula do sistema reprodutivo masculino, que pesa por sua vez cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. É localizada abaixo da bexiga e a sua principal função, em conjunto com as vesículas seminais, é de produzir o esperma.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil (atrás do câncer de pele não melanoma). Segundo dados de 2020, o total estimado de novos casos de câncer de próstata é de 65.840, que corresponde a 29,2% dos tumores incidentes no sexo masculino, já sobre o número de óbitos em decorrência desse câncer o número foi de 15.841. Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, é o segundo tipo mais comum.

O que aumenta o risco?
  • A idade é um fator de risco predominante, sendo que tanto a incidência e o número de mortes tem um aumento significativo após o 50 anos;
  • Pai, irmão ou tio que tenham tido câncer de próstata até os 60 anos, também é um fator de risco para o câncer de próstata;
  • Excesso de gordura corporal e má pratica de atividades físicas;
  • A etnia também é considerada um fator de risco, pois homem que possuem uma ascendência africana estão mais propensos a desenvolver o câncer de próstata.
Sinais e sintomas.

Na fase inicial o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer 95% dos tumores já se encontram em fase avançada, assim dificultando o processo de cura. Na fase avançada os sintomas característicos são: dor óssea, dores ao urinar, vontade de urinar com frequência e a presença de sangue na urina e/ou no sêmen. Na presença dos sintomas, é recomendado a procura de uma unidade médica para consultar um médico especialista.

Prevenção e tratamento.

Segundo o INCA, uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como manter uma prática constante de atividade física, manter o peso adequado à altura, identificar e tratar adequadamente a hipertensão, diabetes e problemas de colesterol, diminuir o consumo de álcool e não fumar. 

Contudo, a única forma de garantir a cura do câncer de próstata é tendo um diagnóstico precoce. Mesmo não possuindo os sintomas, é recomendado que homens a partir de 45 anos tendo fatores de risco, ou 50 anos sem os fatores, comecem a comparecer ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, exame que permite que o médico avalie alterações da glândula, como o endurecimento e a presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA. A indicação da melhor forma de tratamento depende de vários aspectos, tais como, a saúde atual, a fase que a doença se encontra e a expectativa de vida.

Os exames periódicos do toque retal e do PSA, são meios extremamente importantes para uma detecção precoce da doença, pois quando é detectado em fase inicial, há maiores chances de cura e de tratamentos menos invasivos.

Por isso não perca tempo e deixe o preconceito de lado. Se você já estiver na faixa recomendada para a realização do exame procure um urologista e converse sobre o tema. A detecção e o tratamento precoces podem salvar vidas. 

Posts Relacionados